Sua Equipe Precisa de 3 Características Essenciais

O bom é inimigo do ótimo” Jim Collins
Pode parecer um mistério obter a fórmula perfeita do desempenho de sucesso absoluto numa equipe. Enquanto não encontrar essa fórmula você pode dar uma nova chance a sua equipe ao assegurar o seguinte:
Unidos por um propósito. A maioria das equipes são formadas como resultado de uma seleção aleatória. Para trabalhar em conjunto e de forma eficaz os membros da equipe precisam se unir em torno de um propósito significativo de forma que eles adotem como seus próprios.
Um mix de competências complementares. É perigoso para uma equipe quando todos tem as mesmas habilidades e pontos de vista. Procure pessoas com diferentes conhecimentos técnicos e experiências que tragam diferentes ideáis e abordagens para a resolução de problemas e tomada de decisão.
Responsabilidade mútua. Você não pode forçar o comprometimento. O processo de chegar a um acordo sobre uma meta juntos irá forjar a confiança e estimular a responsabilidade da equipe um para com o outro.

by L.Gary

Anúncios

Dê Lugar a Gestão Competente

Se a sua organização ou marca deixasse de existir hoje, o que o mundo perderia?

Se o sucesso de um funcionário está intrinsecamente relacionado a quão bom é seu chefe, não deveriam todos ter direito a um chefe bom? Dê aos seus subordinados o que eles merecem ao ser um chefe com as seguinte habilidades mínimas:

Digno de confiança. A confiança está fundamentada na competência e no caráter. Você deve saber o que fazer e como fazer. Você também deve fazer sempre o que disse que iria fazer.

Influente. Seus subordinados diretos confiam em outros para seu trabalho seja completamente executado. Portanto, você precisa cultivar relacionamentos com aqueles que vão além de seus subordinados diretos os quais fazem a sua equipe ser produtiva.
Equipe focada. Um bom chefe sabe que uma equipe é melhor do que a soma de suas partes. Para manter toda a equipe unida e focada dê a eles um propósito inspirador, metas e planos claros e a cultura do “nós” não do “eu.”

by K.Lineback.

Propósito é a força que move as empresas

Conceito provoca uma revolução no modo como empresas e marcas são geridas.

Se a sua organização ou marca deixasse de existir hoje, o que o mundo perderia? Esta é a primeira reflexão que uma empresa deve fazer para descobrir o seu propósito, ou seja, a sua razão de existir. A resposta a essa questão é essencial para o sucesso das companhias, já que o propósito é o porquê, o que sustenta tudo o que a marca faz e o modo único e autêntico pelo qual ela melhorará o mundo. O propósito inspira os colaboradores a levantarem cedo e chegarem motivados à companhia, e isso reflete na relação deles com todos os stakeholders – e principalmente com o cliente – o que cria uma capacidade maior de gerar resultados.

O tema foi discutido durante o evento O Propósito da Marca: a Ideia de Branding mais Poderosa do Planeta, realizado pelo Grupo Troiano de Branding em parceria com a HSM, no Bar des Arts, em São Paulo. A palestra foi ministrada pelo presidente do Grupo Troiano de Branding, Jaime Troiano, e pela diretora geral do Grupo Troiano de Branding, Cecília Russo.

Segundo os palestrantes, muitas empresas acreditam que o propósito é similar aos conceitos de missão e visão, mas eles são distintos. “O propósito é a razão de ser da empresa. Imagine a seguinte situação: uma pessoa tem uma tarefa (o que fazer) e uma hierarquia (quem obedecer) e executa por causa de uma missão (onde estamos e como fazemos) e pela visão (aonde vamos). Mas o que a move é o propósito (o porquê). Este é o primeiro princípio que a leva a fazer o trabalho”, disse Jaime Troiano.

Outro equívoco comum, segundo o presidente do Grupo Troiano de Branding, é comparar o propósito com o conceito de posicionamento. “A diferença é enorme. O propósito está ligado a uma ideia da próxima década e é construído dentro da empresa. O posicionamento é construído a partir de um cenário externo, da análise de concorrentes”, comparou. Desta forma, o propósito não é filosofia, não nasce de uma sacada inspiradora e não é construído numa sessão de brainstorm.

Durante a palestra, Cecília explicou que a maioria dos funcionários das empresas não sabe responder a pergunta que abre esse texto: se a organização deixasse de existir, o que o mundo perderia? Ou a questão: O que mais a empresa oferta às pessoas? Isso acontece porque no dia a dia competitivo dos negócios o propósito se perde. “Ele está na origem das empresas, na vocação e na ideia original do fundador. O posicionamento e o slogan podem mudar. O propósito é escavado e eterno”, afirmou Cecília.

Experiências mostram como descobrir o propósito
Jaime explicou que este é o trabalho da BrightHouse Brasil, empresa do Grupo Troiano de Branding especializada em identificação do propósito de marca. Em novembro, a organização completa dois anos de existência no País, desde a sociedade com a BrightHouse de Atlanta, nos Estados Unidos. A metodologia de trabalho começa com a investigação interna na empresa, conhecida como escavação, a partir de conversas com o fundador e seus familiares, os colaboradores e principais executivos. A segunda fase é de incubação, ou seja, de entender o papel que a organização tem no mundo. Depois, a iluminação, que significa articular a interseção mais marcante e relevante entre a essência e o papel da organização no mundo, o que resulta na Master Idea®. A última etapa é a de ilustração, de trazer vida à Master Idea® por meio de conceitos de ações voltadas ao público interno e externo à organização.

A BrightHouse Brasil atende clientes como Rainha, TV Globo, Taeq, Extra, Pão de Açúcar, Grupo Pão de Açúcar, Graco e a Ordem dos Jesuítas (IHS). Um dos cases apresentados por Jaime Troiano foi o da TV Globo, na qual o processo de investigação da razão de ser da emissora envolveu desde funcionários, atores até a família Marinho. “Resgatamos a história do doutor Roberto Marinho e descobrimos que o propósito dele, ao fundar a empresa, era o de promover uma aproximação e sintonia entre as pessoas”, disse Jaime Troiano. E uma forma desse propósito original se revelar no dia a dia ocorreu com a veiculação de filmes não publicitários para motivar os colaboradores. Além disso, o processo resultou em 25 ações diferentes para tangibilizar a Master Idea®. Uma delas resultou no slogan atual da emissora: “Globo, a gente se liga em você”.

Jaime Troiano também apresentou um case internacional da Lenox, marca da empresa internacional Newell Rubbermaid, que endossa serras e ferramentas que cortam. O propósito, revelado pela BrightHouse, é envolvente e vem das origens da empresa: vender o prazer em vencer qualquer obstáculo e trazer a inspiração que constrói prédios, cidades e todos os sonhos que a engenhosidade humana é capaz de conceber. Em inglês, a mensagem é resumida na Master Idea®: “Lenox, passion cuts through”.

O case da BrightHouse que melhor ilustra a relação entre o propósito e o resultado financeiro é o da Graco, produtora de artigos infantis e carrinhos de bebê, que viu seu faturamento subir de US$ 450 milhões para US$ 1,3 bilhão, após a revelação do propósito. Segundo Jaime Troiano, a empresa passava por um processo de estrangulamento no mercado porque olhava para os seus produtos pensando em atender os bebês. A BrightHouse identificou o sonho que motivava os primeiros funcionários da Graco, que era o de cuidar dos pais que se esforçavam para equilibrar múltiplas tarefas e papéis com a atenção aos filhos. “Com esse propósito, a empresa passou a ser mais de engenharia para cuidar dos pais. Isso alimentou a área de negócios como um todo”, concluiu Jaime Troiano.

Portal HSM